Todos os posts de

Coordenação do Curso de Pedagogia (UFLA) parabeniza primeira turma do curso pela colação de grau

A jornada até aqui

Caminho, estrada, jornada… são palavras que percorrem nossa mente ao iniciarmos algo em nossa vida. O primeiro passo dado em busca de um objetivo almejado é sempre incerto, às vezes trêmulo, mas sempre novo e desafiante. Vislumbramos no horizonte o nosso sonho e os passos, que são necessários para chegar até ele, percorrerão um caminho longo na partida, mas curto ao ser visto da chegada.  É nesse olhar da chegada que estamos, virados para os quase cinco anos vividos dentro da Universidade Federal de Lavras (UFLA), com a formatura da primeira turma do curso de Pedagogia.

Para chegar até aqui, um longo processo de construção coletiva se deu, numa estrada nem sempre reta, nem sempre livre, com muitos desafios. Desde 2005, com o curso de Pedagogia para Educação Infantil, junto ao Consórcio Pró-Formar, e com o curso de Pedagogia na modalidade a Distância, criado em 2012, os docentes do Departamento de Educação mobilizaram-se para relevar na UFLA a importância da pesquisa em educação, do papel transformador do educador e da formação de professores da educação básica, culminando seus esforços na elaboração do projeto de criação do curso de Pedagogia presencial em 2014.

Eis que em 2015 inicia-se a primeira turma do curso de Pedagogia presencial da UFLA, ocupando, enfim, o espaço físico da universidade. O verbo no presente faz vivos os sentimentos que brotaram naquele dia. A expectativa dos que estavam e dos que chegaram: estudantes, docentes em meio a uma proposta de formação de professores humana e comprometida com a sociedade. Podemos dizer que o espaço da universidade, já consagrado como fonte do conhecimento, também é espaço de encontro e foi nesse encontro que a formação dos/as estudantes da primeira turma de Pedagogia iniciou e sua jornada começou.

Poderíamos, neste momento, romantizar essa jornada, como aquelas histórias de contos de fadas que ouvíamos quando crianças, mas a realidade nos impede. Não foram poucas as dificuldades enfrentadas tanto no nível individual quanto coletivo. Cada um, cada uma tem, em sua lembrança desse tempo na graduação, um fato que o/a fez repensar a continuidade do curso. Uma questão familiar, financeira, de saúde… Na memória particular, o desafio enfrentado dói, mas também alegra pela sua superação e aprendizagem. Ao voltarmos à nossa memória coletiva, no entanto, vemos as inquietações perdurarem. Se em nossas individualidades conseguimos ver nossas conquistas, na nossa coletividade deparamo-nos com lutas. Cortes na educação, ataques à universidade pública e à democracia são apenas alguns dos aspectos que emergiram nesse período, fazendo com que a conclusão do curso e o tornarse pedagogo/a, mais do que nunca, tenha de ser um ato de compromisso humano, social e político. “Ser professor e não lutar é uma contradição pedagógica”, já nos dizia Paulo Freire.

Contudo, peçamos agora licença para celebrar essa jornada e trazer à tona os tempos felizes que vivemos, as amizades conquistadas, o conhecimento apreendido, a pessoa que cada um e cada uma se tornou nesse processo de construção e reconstrução de quem somos. Nenhuma daquelas pessoas, que se encontraram naquele primeiro dia de aula do curso de Pedagogia, hoje é a mesma. E isso não se dá apenas pelo tempo que se passou, dá-se pela experiência e pelo conhecimento que todos/as viveram e ajudaram o/a outro/a a viver também. Em tempos sombrios como o que estamos vivendo, ser feliz, amar e celebrar as conquistas é um ato de resistência e ousadia! Sejamos ousados/as então!

Ousemos celebrar a pessoa que cada um/a se tornou! Ousemos celebrar cada estudante e cada docente desse curso! Ousemos celebrar a universidade pública! Ousemos celebrar a educação como prática de liberdade! Ousemos ser, enfim, a primeira turma de Pedagogos/as formada pelo curso presencial da Universidade Federal Lavras!

Em nome de todos/as docentes do Departamento de Educação, parabéns aos/às formandos/as!

Professora Luciana Soares da Silva

Coordenadora do Curso de Pedagogia (presencial)

Semana Nacional de Ciência e Tecnologia – SNCT 2018

Semana Nacional de Ciência e Tecnologia – SNCT 2018

O Departamento de Educação (DED) marcou presença na  15ª edição da Semana Nacional de Ciência e Tecnologia (SNCT). O tema da semana foi a “Ciência para a Redução das Desigualdades”. O evento é realizado em todo o País em outubro para divulgação da ciência por meio de uma linguagem acessível à população. A UFLA, em parceria com a Prefeitura Municipal realizou uma série de atividades, e no dia 21/10 o DED esteve presente na atividade que aconteceu na Praça Dr. Augusto Silva.

 

Projeto eLab UFLA com alguns de seus integrantes (Ludmila, Prof Ronei, Aleph, Junior, Profa. Estela e Sarah)
Equipe LPPSI presente no evento
Professora Elaine do Laboratório de Práticas Pedagógicas Socioambientais e Interdisciplinares (LPPSI)

 

O robô com sensor de luz, feito com lego, foi a atracão da criançada
O Professor Teodorico nos prestigiou com sua presença.
Tivemos também a presença do professor Vanderlei
Peças do acervo do Museu Bi Moreira foram apresentadas a comunidade lavrense.
O brincar!
Criança brincando no tapete pedagógico do LPPSI
As crianças puderam brincar no tapete pedagógico do LPPSI

 

Outra atração que roubou a cena foi a impressora 3D, com os estudantes Leonardo e Ivam que trabalham com o professor Helvécio do DEX e possuem uma parceria com o eLab

 

Warlley da DADE também foi nos prestigiar com seus filhos!

 

Projeto leitura literária e contação de histórias nas escolas

PROJETO LEITURA LITERÁRIA E CONTAÇÃO DE HISTÓRIAS NAS ESCOLAS

 

O “Projeto Leitura Literária e Contação de Histórias nas Escolas”, sob a coordenação da Profa. Ilsa Goulart, marca presença nas comemorações da Semana da Criança em várias escolas da rede municipal e estadual de ensino da cidade de Lavras e cidades vizinhas, com o espetáculo teatral “Dona Baratinha”.

O projeto tem por propósito desenvolver atividades de leitura literária e de contação de histórias com crianças na educação infantil e ensino fundamental I, das escolas públicas ou privadas de Lavras e região, com a finalidade de promover a sensibilidade para a ação leitora e contribuir para o processo de letramento literário das crianças. As ações de leitura e contação de histórias acontecem em forma de espetáculos, organizadas pelos integrantes do Núcleo de Estudos em Linguagens, Leitura e Escrita (NELLE), estudantes do curso de Pedagogia da Universidade Federal de Lavras.

A turma da Dona Baratinha
A turma da Dona Baratinha visita a escola
Profa Ilsa contando histórias

V Colóquio Teoria Crítica e Educação

V COLÓQUIO TEORIA CRÍTICA E EDUCAÇÃO

O evento “V COLÓQUIO TEORIA CRÍTICA E EDUCAÇÃO: Projeto Cinema Com Vida (2008-2018) – uma década de experiência estética na formação docente”, contará com a presença de estudiosos de instituições de ensino do Estado de São Paulo e de Minas Gerais. Do dia 17 a 20 de setembro, por meio de mesas redondas, minicurso, lançamento de filme, e debates no Anfiteatro do Departamento de Agricultura da Universidade Federal de Lavras, a quinta edição deste evento comemora os 10 anos do Projeto Cinema Com Vida, que estuda a arte cinematográfica como experiência fundamental na formação estética de professores e futuros professores.

O Projeto de Extensão

O Projeto de extensão em interface com a pesquisa “Cinema com Vida”, cujo objetivo é compreender o cinema como arte que expressa as modificações sociais e perceptivas produzidas ao longo do século XX e início do século XXI, de modo que se possa aprender a lidar com essas modificações no processo de ensino e aprendizagem.

O cinema tem sido utilizado com progressiva frequência por docentes e licenciandos de diferentes áreas do conhecimento, mas esta utilização ainda carece de estudos teóricos e práticos desenvolvidos no processo de formação docente. Essa carência, em meio a excessiva oferta de filmes, deixa os professores e futuros professores isolados para enfrentar as dificuldades diante da escolha e do desenvolvimento do trabalho com filmes. A relação pouco desenvolvida entre professores e futuros professores com a sétima arte, em muitos casos, não instiga a busca de conhecimentos sobre o cinema enquanto um produto cultural que expressa o desenvolvimento tecnológico ocorrido ao longo do tempo e como ele exerce influência nas formas perceptivas no século XXI. Este projeto de extensão visa contribuir para a construção de uma perspectiva de formação docente que considere que o cinema pode promover a educação dos sentidos e da reflexão crítica. Com este intuito, o projeto vem exibindo, analisando e discutindo semanalmente filmes clássicos que influenciaram a produção cinematográfica da atualidade. O trabalho acontece às quartas-feiras, 14 horas, no Museu de História Natural – Campus histórico da UFLA.

Integrantes: Luciana Azevedo Rodrigues, Marcio Norberto Farias

Demais integrantes: Carlos Betlinski, Vanderlei Barbosa, Dalva de Souza Lobo

Contatos: Profa. Luciana: (35) 3829.3104 / lunazevedo@gmail.com

 

Programação
Programação
Mesa do Evento

Formação docente

Curso de extensão A formação docente no movimento reflexivo e discursivo da prática pedagógica

 

Durante os meses de fevereiro e março, o Núcleo de Estudos em Linguagens, Leitura e Escrita – NELLE, em parceria com a Secretaria de Educação da Prefeitura Municipal de Lavras e o Departamento de Educação, ofereceu um curso de extensão aos professores da Escola Municipal José Luiz de Mesquita, atendendo também aos profissionais da rede particular de ensino da cidade de Lavras e aos graduandos da Universidade Federal de Lavras.

Cursistas

O curso de extensão A formação docente no movimento reflexivo e discursivo da prática pedagógica, sob a coordenação da Profa. Ilsa do Carmo Vieira Goulart, foi dividido em seis encontros ministrados pelas professoras Adriana Pryscilla Duarte de Melo, Dalva de Souza Lobo, Flávia Aparecida Mendes de Oliveira Cruz, Ilsa do Carmo Vieira Goulart, Josiane Marques e Luciana da Silva Soares.

Os encontros tiveram o objetivo de propiciar um espaço de discussão e reflexão sobre a prática pedagógica, subsidiados pela concepção de linguagem na interatividade e interdiscursividade.

O trabalho com a formação continuada considera que a ação do professor não se encontra em um espaço da neutralidade, o fazer docente age em uma esfera da complexidade e da amplitude das relações humanas, isto porque se “não posso ser professor se não percebo cada vez melhor que, por não poder ser neutra, minha prática exige de mim uma definição. Uma tomada de posição. Decisão. Ruptura. Exige de mim que escolha entre isto e aquilo”, conforme nos mostra Paulo Freire.